Museu da Cidade de São Paulo

O Museu da Cidade de São Paulo está localizado em imóveis de interesse histórico e arquitetônico, distribuídos pela malha urbana do município. Atualmente, seu acervo arquitetônico é composto pelo Solar da Marquesa da Santos, Beco do Pinto, Casa Nº 1/Casa da Imagem, Casa do Bandeirante, Casa do Sertanista, Capela do Morumbi, Casa do Tatuapé, Sítio da Ressaca, Sítio Morrinhos, Casa do Grito, Monumento à Independência, Casa Modernista e Chácara Lane. Também é responsável por um importantíssimo acervo fotográfico sobre a Cidade (coleções como Departamento de Cultura, Militão, Becherini, Gaensly, Expedição São Paulo 450 anos, entre outras), um acervo de bens móveis (constituído por peças sécs. XVII, XVIII, XIX, adquiridas a partir das atividades de comemoração do IV Centenário) e um acervo de história oral (alguns temas: Memória dos Movimentos Sociais; Memória Fabril; História das Eleições; Ocupação Indígena na cidade de São Paulo).

Ao longo de sua trajetória, muitos foram os formatos e modelos experimentados pelas sucessivas gestões. O museu histórico - que apresentava cenários que contribuíram para construir o imaginário bandeirista - passou por diversos questionamentos e transformações e tornou-se um museu de cidade (tipologia) que atua em rede, dedicado a promover a reflexão e a conscientização sobre o município de São Paulo por meio da salvaguarda, pesquisa e comunicação de seus acervos históricos e arquitetônicos e das mais diversas referências patrimoniais paulistanas.

Beatriz Cavalcanti de Arruda

Diretora do Museu da Cidade de São Paulo

Missão:
Gerar, sistematizar e socializar o (re) conhecimento sobre a cidade de São Paulo, fomentando a reflexão e a conscientização de seus habitantes e visitantes, visando a transformação e o desenvolvimento da sociedade.

Visão: Tornar-se um Museu de Cidade que reflita a complexidade e diversidade da megacidade São Paulo.