Foto
Urbanas, fotografias de German Lorca

A excelência da obra de German Lorca o coloca entre os autores que contribuíram significativamente para a história da fotografia paulista. É notável o progressivo apuro técnico e estético, aprimorado a partir de sua atuação em diferentes segmentos – experimentação, reportagens, documentação e publicidade. É igualmente notória à gênese criativa de Lorca, constituída após a experiência com os ativistas do Foto Cine Clube Bandeirante e de sua participação na estruturação do laboratório fotográfico no Museu de Arte de São Paulo, os mais importantes pólos irradiadores do pensamento que articulou a fotografia moderna em São Paulo neste momento.

A breve carreira como contador não resistiu à sedução das primeiras imagens, decidindo-se pelo ofício de fotógrafo em 1948. Nos anos seguintes, seu trabalho autoral foi reconhecido com premiações e participações em exposições e publicações nacionais e internacionais. Em 1954, Lorca inicia as atividades do seu estúdio especializado em fotografias técnicas e publicitárias, atendendo à demanda do mercado em expansão nas décadas posteriores, sem, contudo, jamais abandonar a fotografia autoral e a documentação da cidade.

A grande mobilização em torno do IV centenário de fundação de São Paulo despertou seu interesse em participar das comemorações, produzindo um eloqüente registro do desfile cívico no Parque Anhangabaú e da solenidade de inauguração da Catedral da Sé que reuniu autoridades políticas e religiosas convidadas para o evento. As fotografias de Lorca denotam grande familiaridade com a cidade, um dos temas recorrentes em sua produção e objeto central desta exposição. Em algumas imagens, notamos a sagacidade de sua visão e a capacidade de operar o sistema de enquadramento e recorte para gerar a abstração e estranhamento dos espaços urbanos, observados na fotografia da rua São Vicente de Paula que ilustra a página anterior. Também está exposta uma seleção de registros em grande plano que apontam o crescimento vertical da paisagem no perímetro central de São Paulo, em muitos casos obtidos do topo dos prédios.

Os registros da cidade, executados em plano aberto e parcialmente reunidos nesta exposição, foram captados por Lorca entre os anos 1950-1960. Soma-se à sua preponderante força estética a relevância histórica que estas imagens adquiriram, devido as constantes transformações de São Paulo e à intrínseca propriedade de revelar aspectos urbanos e sociais deste período agora longínquo, a exemplo da geometria das construções operárias das ruas que cercam os galpões no Brás ou dos flagrantes dos cortiços.

Exposição de 15 de dezembro de 2012 a 31 de março de 2013*

(*) A Casa da Imagem estará fechada à visitação entre 22/dezembro e 8/janeiro


Urban scenery, photographs of German Lorca

German’s Lorca breakthrough work places him among those who gave a remarkable contribution to the history of São Paulo photography. The progressive technical and aesthetic perfection developed in different segments – experimentation, reportages, documentation and publicity – is unparalleled. Also notorious is Lorca’s creative genesis, which emerged after his experience with the activities of the Foto Cine Clube Bandeirante and his participation in the structuring of the photographic laboratory of the Museu de Arte de São Paulo-MASP, the most important knowledge-production centers that articulated modern photography in São Paulo at that time.

Lorca’s brief career as an accountant yielded to the seduction of the first images, when he decided to become a photographer, in 1948. In the following years, his works were honored with awards and participations in national and international exhibitions. In 1954, Lorca begins his studio activities specialized in technical and publicity photographs, given the expanding market demand in the following decades, without, however, never abandoning his own creative photography and the city documentation.

The intense mobilization around the four hundred years of the São Paulo city foundation aroused his interest in the celebrations, when he produced eloquent images of the Anhangabaú Park civic parade and of the inauguration of the Catedral da Sé, which gathered political and religious authorities invited to the event. Lorca’s photography denotes great acquaintance with the city, one of the recurrent themes of his production and core subject of this exhibition. In a set of these images we perceive his sagacity and capacity to frame and cut the photographs, which causes a sense of abstraction and uneasiness towards the urban spaces, verified in the photograph of São Vicente de Paula street, which illustrates the previous page. Also in the exhibition is a selection of close-range photographs that register the vertical growth of the central perimeter of São Paulo, often taken from the top of the buildings.

Overall, Lorca registered the growth of the city, particularly in the fifties and sixties, market by his aesthetic strength and the historical relevance acquired in the latest years, due to the intrinsic capacity to reveal urban and social aspects of this period, particularly in the shots of slum tenements or in the geometry of the workers’ buildings on the streets around the sheds of Brás, a low-income neighborhood.


Casa da Imagem de São Paulo
Rua Roberto Simonsen, 136-B
CEP 01017-020 - Sé – São Paulo SP
Telefone 11 3106-5122

Visitação de Terça a domingo, das 9h às 17h
Consulta ao acervo de terça a sexta-feira das 9h às 17h

Entrada franca


Contato.casai@prefeitura.sp.gov.br