Foto
Tatiana Blass na Capela do Morumbi

O Museu da Cidade de São Paulo inaugurou no sábado, dia 24 de setembro, às 15 horas, a instalação inédita “Penélope”, realizada para o espaço da Capela do Morumbi. A obra consiste em um tapete vermelho de 13 metros que vai da porta de entrada da Capela até um grande tear manual de pedal localizado próximo ao altar, onde sua urdidura está presa. Os fios saem do outro lado do tear em grande quantidade, caem pelo chão e passam pelos buracos da paredes de taipa, chegando até a área externa. Os fios vermelhos invadem o verde do jardim do museu.

O título da obra “Penélope” é uma referência ao mito grego em que Penélope, espera por seu marido Ulisses que ficou muito tempo longe guerreando. Com seu destino desconhecido, não se sabendo se estava vivo ou morto, o pai de Penélope sugeriu que sua filha se casasse novamente. Mas ela recusou, dizendo que o esperaria até a sua volta. No entanto, diante da insistência de de seu pai, para não desagradá-lo, Penélope resolveu aceitar a corte dos pretendentes à sua mão. Para adiar o máximo possível o novo casamento, estabeleceu a condição de que se casaria somente após terminar de tecer uma peça em seu tear. Durante o dia, aos olhos de todos, Penélope tecia, e à noite secretamente ela desmanchava. Assim, anulava o tempo, até a volta de Ulisses.

Tatiana Blass (São Paulo, 1979). Vive e trabalha em São Paulo. É bacharel em Artes Plásticas pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Começou a desenvolver seu trabalho com desenhos e pinturas. A partir de 1998, passou a participar regularmente de salões, mostras em ateliês, exposições coletivas e individuais. Em 2003, expôs pinturas e colagens no Programa de Exposições do Centro Cultural São Paulo. Em 2004, realizou sua primeira obra diretamente no espaço. Em "Cauda" (2005), individual na Galeria Virgílio, expôs diversas obras, entre elas, esculturas ainda com um grande diálogo com a pintura. Em 2006, produziu a escultura "Páreo" e a instalação "Espartilho" para a Temporada de Projetos no Paço das Artes. Em 2007, ocupou toda a Galeria Millan em sua individual "O engano é a sorte dos contentes", onde expôs obras em diversas linguagens, como pintura, escultura, instalação, fotografia e vídeo. Em 2008, foi uma das cinco finalistas do Nam June Paik Award, onde expôs no Wallraf-Richartz Museum, em Colônia, na Alemanha. Também participou da exposição "Beneath the Bridge", na galeria Pablos Birthday, em Nova York, além de realizar a individual “Globo da Morte” na galeria Box 4. Em 2009 realizou sua primeira individual em um museu, com a exposição "Cão cego" na capela do Museu de Arte Moderna da Bahia. Em março 2010 fez a exposição “Teatro para cachorros e aviões” na Galeria Millan, em São Paulo, a qual a representa. Em setembro exibiu a instalação “Metade da fala no chão - Bateria” em Miami, obra que contemplada para execução de seu projeto com uma bolsa da Cisneros Fontanals Art Foundation (CIFO). Participou com a obra "Metade da fala no chão - Piano surdo" da 29ª Bienal de São Paulo. Em 2011, expôs no Centro Cultural Banco do Brasil, no Museu de Arte Moderna, ambos no Rio de Janeiro, e na Caixa Cultural em São Paulo, Brasília e Salvador. É uma das quatro finalistas do Prêmio PIPA.
Fonte: www.tatianablass.com.br

Evento: Penélope, site specific da artista Tatiana Blass
Abertura: 24 de setembro, sábado, das 14 às 18 horas


Capela do Morumbi
Avenida Morumbi, 5.387 - Morumbi, São Paulo
Fone: 11. 3772 - 4301

Entrada gratuita
Informações e agendamento de visitas orientadas
museudacidade@prefeitura.sp.gov.br