Foto
Contra.Céu – Marcelo Moscheta

A Capela do Morumbi apresenta, no projeto de intervenções, a instalação CONTRA.CÉU de Marcelo Moscheta. O artista explora em suas obras uma variedade de conceitos como a noção do efêmero, tempo, espaço e a relação do homem com a paisagem e frequentemente utiliza materiais e técnicas incomuns como grafite sobre placas de pvc, pedaços de algodão dentro de caixas de bombons, monotipias de papel em papel carbono, etc.

Na obra CONTRA.CÉU, um pedaço de céu tem sua imagem refletida logo abaixo do desenho original formando uma grande peça de 3,5 metros de altura por 5 metros de largura. A estrutura colocada no altar da capela "receberá" o visitante trazendo para dentro do espaço da pequena igreja a imagem de um céu, que se projeta acima do espectador.

Montada em ferro, PVC, madeira e placas de aço inox polidas, a intervenção possui um ângulo de 45º em relação ao observador, que, a certa distância não tem sua própria imagem refletida na peça, mas somente o desenho logo acima, criando um jogo de ilusão de perspectiva que remete aos afrescos e pinturas iniciados no séc. XIV, quando os tetos de igrejas e capelas eram decorados com tais motivos. 

O título CONTRA CÉU refere-se ao termo contra-piso - parte preparada do solo nas construções antes de receber o acabamento final. De acordo com Moscheta "o piso e o céu são essas dualidades das quais somos formados: terra e paraíso, o bem e o mal" - e o espaço da capela é fundamental na construção dessa ideia, pois estabelece o diálogo profundo entre o motivo e o locus.

Para Moscheta a paisagem é como um contraponto para medir a si mesmo, um referencial externo que possa dar a exata medida do tamanho de si. Segundo o artista, a ideia desta obra é um tanto romântica e presta reverência às últimas grandes explorações do século XIX, nas quais os pólos do planeta e os cumes dos montes mais altos eram por certo a descoberta do lugar e ao mesmo tempo, do limite próprio do homem. 

Tal relação repousa numa tentativa primeira de construir um lugar ideal, uma imitação da natureza como retrato fiel das relações de perfeição e equilíbrio. Dessa forma o artista tenta abarcar todas as possibilidades de entender um local, não somente por meios sensíveis como o desenho e a alteração das percepções, mas como se todo um engenho que sustenta esse mundo em que vivemos possa ser mostrado e escancarado, revelando uma surpresa em cada ângulo novo, em cada passo em direção ao céu contido dentro das paredes de uma pequena capela.


Capela do Morumbi
Av. Morumbi, 5.387 - Morumbi, São Paulo, SP
Fone 11 3772 4301


Abertura dia 01 de maio às 11h
Aberto de terça a domingo, das 9 às 17h
Visita orientada. Entrada franca.