Foto
Arte à Mão Armada

CARMELA GROSS
Curadoria Douglas de Freitas

O Museu da Cidade de São Paulo tem a honra de apresentar na Chácara Lane a exposição Arte à mão armada, da artista Carmela Gross, uma das mais importantes artistas brasileiras, que iniciou seu trabalho no fim da década de 1960, e que atua hoje com mesmo fôlego e força.

A casa está tomada por um conjunto significativo de obras que compreendem um recorte de cinco décadas de produção, uma espécie de retrospectiva, em que períodos distintos da produção de Carmela são pontuados. Ao mesmo tempo, está proposta uma leitura que ressalte o caráter desafiador do trabalho, o burlar fronteiras entre desenho, maquina e mão / multidão, cidade e indivíduo, destacar suas ferramentas de questionar a ordem estabelecida, e seus assaltos imagéticos. Apresentar suas armas de enfrentar o mundo e a arte.

A exposição procura explorar o processo da artista, revelar seu modo de operar, seu pensamento. Por isso os textos que acompanham as obras são escritos da artista, reflexões sobre os trabalhos realizadas ao longo dos anos. Também estão reunidas pela primeira vez as pastas-projetos da artista. Apresentadas em fac-símiles, esse arquivos contém o conjunto de estudos preparatórios para as obras. Torna-los públicos é ato corajoso da artista de expor seu processo, com suas dúvidas, recortes e acertos.

A remontagem de instalações e intervenções de grande escala, como Eu sou Dolores, realizada para a 4ª edição do Arte-Cidade, e a instalação realizada em 1992 para a Capela do Morumbi, agora remontada na mesma Capela, revelam a ambição de estar na cidade que a obra da artista tem e que aparece rebatida na exposição. Seus trabalhos partem de signos da cidade, voltar-se para ela parece destino certo.

Um possível percurso cronológico da mostra se encerra com Escada-Escola, desenvolvida especialmente para a Chácara Lane. Estrutura metálica de linhas e curvas industriais, a escada rompe a barreira que impede o trânsito das crianças da escola vizinha à casa, propondo uma relação mais proveitosa entre escola e museu, com um desvio na lógica de uso engessado dos espaços. É mais uma vez a artista saindo do espaço expositivo, esbarrando nos limites físicos do museu e se voltando para o lugar que mais lhe provoca que é o fora, a cidade.

A obra de Carmela existe no constante exercício de desafiar a lógica estabelecida das coisas. Seu fazer é se desafiar, desafiar o outro, desafiar a arte, desafiar a cidade. ARTE À MÃO ARMADA.

Douglas de Freitas
curador de artes visuais do Museu da Cidade de São Paulo



Evento: Arte à Mão Armada
Período expositivo: 3 de setembro de 2015 a 09 de abril de 2017

Local: Chácara Lane/Gabinete do Desenho
Endereço: Rua da Consolação, 1024 - São Paulo, SP
Telefone: 11 3129 3361
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 9 às 17 horas
Entrada gratuita