Foto
Paisagem desaparecida

Que imagens a prefeitura guardou para contar a história de paulistana? As cenas que vemos a nossa volta testemunham uma cidade que não mais existe e indicam o pensamento urbanístico e o programa arquitetônico que prevaleceu em outras épocas, foco principal dos 74 mil negativos que compõem a Coleção de Fotografia Iconográfica do Museu da Cidade de São Paulo.

Entretanto, ao registrar estas imagens, o fotógrafo captou, possivelmente ao acaso, flagrantes que enriquecem o conhecimento sobre o cotidiano da população, como a tranquilidade do pedestre que se desloca da Estação da Luz em direção ao prédio do Liceu de Artes e Ofícios em 1902, ou o vendedor ambulante na Rua José Bonifácio em 1910.

A experiência de fotografar a cidade mostra-se evidente no século e meio de abrangência do acervo. Se, nas panorâmicas de Militão Augusto de Azevedo, toda a cidade pode ser precariamente enquadrada em uma sequência de cliques, as composições certeiras de Guilherme Gaensly eliminaram qualquer desvio da tomada elegante, postura inversa da intenção de Aurélio Becherini em documentar a rua com todas as intercorrências, visão pioneira de fotojornalismo, e de seu filho, Aristodemo Becherini, interessado em apontar o processo de verticalização urbana.

A coleção iniciou-se há exatos 80 anos, após a criação do Departamento de Cultura e da Seção de Iconografia, quando Benedito Junqueira Duarte foi admitido no serviço municipal, e se encarregou da salvaguarda de um lote de chapas de vidro adquirido de Aurélio Becherini. Ao catalogar as imagens, Duarte identificou ruas, imóveis, moradores e histórias, informações que se tornaram preciosas para a memória da nossa cidade. Naquele momento, ao lado de outros fotógrafos que se uniram à equipe, o grande canteiro de obras públicas foi registrado, gerando o “arquivo de negativos” das gestões Fábio Prado e Prestes Maia. Em uma sala especial, está reunida uma pequena mostra desta produção, na qual se percebe a formalidade e objetividade fotográfica, bem como a vitalidade e o idealismo presente na São Paulo daqueles anos.


Evento: Paisagem desaparecida
Abertura: 7 de março de 2015 
Período expositivo: de 7 de março a 11 de outubro de 2015

Local: Solar da Marquesa de Santos
Sede do Museu da Cidade de São Paulo

Endereço: Rua Roberto Simonsen, 136
01017-020 - Sé – São Paulo SP
Telefone 11 3241 1081
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 9 às 17 horas
Entrada gratuita