Foto
Jaraguá

Tema recorrente na fotografia de Caio Reisewitz, a paisagem, retratada com exatidão técnica e frequentemente apresentada em grande formato, produz um indisfarçável sentimento de distanciamento do mundo contemporâneo, em alguns casos motivado pela exuberância da natureza, cada vez mais escassa, circunstância que a torna, de certa forma, exótica. Estes cenários também expressam o posicionamento crítico em relação à atuação do homem, uma das características mais contundentes na obra do autor.

Foi a pintura de um artista brasileiro ligado à representação da paisagem, Jorge Furtado de Mendonça, que estimulou a pesquisa de Reisewitz em acervos e o desenvolvimento da exposição na Casa da Imagem. Nestas fotografias, duas operações dimensionam a escala monumental de abordagem do Pico do Jaraguá. Protagonista na topografia de São Paulo (“ponta proeminente”, “protetor do vale”, na língua tupi-guarani), a elevação encontra-se seccionada, na atualidade, da mancha urbana que a cerca; um gesto proposital em circunscrevê-la no âmbito da idealização e de impelir autonomia no discurso poético. Por consequência, a imagem do Jaraguá repete-se sucessivamente, alternada em formatos diferentes e, em alguns casos, dispostos lado a lado, estratégia interpretativa que ressalta o caráter instalativo da mostra – claramente afastado de um partido documental e do esperado recorte da cena em uma única janela.

Abraçado pela multiplicidade de visões, momentaneamente o observador se perde em indagações acerca de sua temporalidade, hesitação resultante do confronto com a memória geográfica, uma vez que são imagens distintas das que se avistam ao cruzar viadutos e estradas da cidade. A desconfiança é reforçada pelas cores atenuadas, típicas das pioneiras ampliações coloridas obtidas através do processo desenvolvido pela indústria Agfa.

Lidar com a escala monumental e despertar a incerteza no observador também foi um recurso utilizado no Panorama da Cidade de São Paulo, emblemática fotografia de Valério Vieira, apresentada na Exposição Comemorativa do Centenário da Independência, no Rio de Janeiro, cujo retoque de pintura sobre a fotografia e a junção de cinco grandes negativos causam um estranhamento na perspectiva do bairro de Campos Elíseos. 

1. Jorge de Mendonça (1879-1933)
Sem título (Pico do Jaraguá), s/d
Óleo s/ tela, 0,82 x 1,31 m
Coleção de Arte da Cidade – Centro Cultural São Paulo

2. Valério Vieira (1862-1941)
Panorama da Cidade de São Paulo, 1922
Óleo s/ fotografia, 1,60 x 14 m
Coleção de Fotografia Iconográfica – Museu da Cidade de São Paulo



Evento: Jaraguá
Caio Reisewitz
Abertura: 25 de outubro de 2014, sábado, às 13h 
Período expositivo: de 26 de outubro de 2014 a 08 de março de 2015

Local: Casa da Imagem
Endereço: Rua Roberto Simonsen, 136B
01017-020 - Sé – São Paulo SP
Telefone: 11 3106-5122 - Ramal 203/205 
Horário de Funcionamento: de terça a domingo, das 9 às 17 horas
Entrada gratuita