Foto
Testemunha ocular, fotografias de Juca Martins

Exposição de Juca Martins
23 de junho a 09 de março de 2014

Consagrado como um dos nomes de referência do fotojornalismo nacional, Juca Martins ocupa um lugar de destaque na cobertura do processo de recondução à democracia em São Paulo durante a ditadura, e da crise social que emergiu no país naquele momento, como a questão infantil, minorias, religiosidade, moradia, o colapso ambiental em Cubatão e na encosta da Serra do Mar, e as viagens de registro do garimpo em Serra Pelada.

A sua produção desse período é conhecida pela agilidade no registro, escolha de situações e precisão de ângulos que valorizam o ser humano no fato jornalístico, capacidades alinhadas a uma corrente do fotojornalismo e que exploram o assunto na sua potencialidade, enfatizando a expressão dos elementos emocionais, sociais e históricos. Esta habilidade pressupõe a interpretação da pauta, do local onde a cena se desenvolve e o planejamento do que o autor deseja extrair e ressaltar na imagem.

Participou da fundação da Agência F4, notória cooperativa de fotógrafos que, no final da década de 1970, sintonizada com o movimento da categoria em outros países, passou a desenvolver pautas autônomas e reivindicar o crédito da autoria na mídia impressa. Atualmente, Martins dedica-se à agência Olhar Imagens e coordena o grupo Fotobrasilis, ambos voltados à produção de imagens sobre o Brasil.

As fotografias aqui expostas descrevem um país em grande agitação e formam um mosaico de episódios que marcaram os paulistanos entre os anos de 1970 e 1980. São registros amplamente divulgados por jornais e revistas dessa época e que, transcorridas duas décadas, foram reunidos pela Casa da Imagem em sua vocação de promover as diversas vertentes da fotografia paulista.

Monica Caldiron





Eyewitness, photographs by Juca Martins

Hailed as one of the most important photojournalists in Brazil, Juca Martins occupies a prominent place in the coverage of the return of democracy in São Paulo during the military dictatorship, and the social crisis which emerged in the country from that moment on, such as the issue of children, minorities, religion, housing, environmental collapse in Cubatão and in the slope of Serra do Mar, and trips to collect images of the Serra Pelada mine.

His production from this period is known for its  agility, his choice of situations and precise angles giving prominence to human beings in the journalistic fact, abilities in tune with one type of photojournalism which explores the power of a theme, emphasizing the expression of emotional, social and historic elements. This ability presupposes the interpretation of a specific agenda, of the place where a scene happens and a planning of what the author wants to extract from and highlight in an image.

Juca Martins was one of the founders of Agência F4, a notorious photographers cooperative which, in the late 1970s, in line with similar movements in other countries, started to develop autonomous agendas and to claim authorship credits in print media. Currently, Martins works for the agency Olhar Imagens and coordinates the group Fotograsilis, both focused on the production of images about Brazilian themes.

The photographs on view here describe a country in great turmoil, forming a mosaic of remarkable events in São Paulo between 1970 and 1980. These are records which were widely reported by newspapers and magazines at the time and which, after two decades, were brought together by Casa da Imagem in its mission to promote different aspects of photography in São Paulo.

Monica Caldiron



Casa da Imagem de São Paulo
Rua Roberto Simonsen, 136-B
CEP 01017-020 - Sé – São Paulo SP
Telefone 11 3106-5122

Visitação de Terça a domingo, das 9h às 17h
Entrada franca


Contato.casai@prefeitura.sp.gov.br