casa do grito

A Casa do Grito tem sido motivo de pesquisas sistemáticas sobre seu valor histórico como técnica construtiva, a fim de desvinculá-la do cenário da Proclamação da Independência ocorrida em 1822. Sua denominação deve-se à associação com o quadro de Pedro Américo, intitulado “Independência ou Morte”, onde é retratada uma casa com características semelhantes. No entanto, o documento mais antigo referente a esse imóvel é datado de 1844 e consta dos autos do inventário de Guilherme Antonio de Moraes. Posteriormente, a pequena casa pertenceria a diferentes proprietários, até ser adquirida, em 1911, pela família Tavares de Oliveira, que permaneceu como moradora até a sua desapropriação pela municipalidade em 1936.

A casa ficou relegada ao abandono até 1955, quando uma campanha, realizada pela Sociedade Geográfica Brasileira e o jornal A Gazeta, atribuiu caráter histórico ao imóvel, a partir da constatação de sua técnica construtiva: a taipa de sopapo ou pau-a-pique. Lançaram, então, a idéia de recuperá-la para visitação pública. Certamente, esta idéia estava vinculada às comemorações do IV Centenário da cidade de São Paulo. As obras de restauro, incluindo uma janela falsa, tiveram a intenção de aproximá-la da casa representada na obra de Pedro Américo, no intuito de caracterizá-la com o cenário composto pelo artista.

Em 1958, por iniciativa da gestão municipal, o imóvel foi transformado em Museu do Tropeiro, abrigando um cenário característico dessa época, composto por móveis e alfaias adquiridos por meio de compra na região do Vale do Paraíba, ou pela doação de particulares e entidades diversas. O projeto tinha a intenção de compor um ambiente do que se imaginou ter sido um pouso de beira de estrada em princípios do século XIX.

No final da década de 70, a crítica a essas concepções museológicas, implicou na desmontagem do cenário. Os objetos passaram a integrar o acervo de bens móveis históricos sob responsabilidade do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH).

Em 1981, a Casa do Grito foi objeto de pesquisas arqueológicas e passou por uma obra de restauro que procurou corrigir os excessos das intervenções anteriormente realizadas. Em 2007 passou por nova etapa de restauro e conservação, tendo sido reinaugurada em 7 de setembro de 2008. Este imóvel está incorporado ao Parque da Independência.



galeria de imagens

Foto

downloads

Arquivos de arquitetura em pdf
Arquivos de arquitetura em dwg


GUIA DA CASA DO GRITO
Ensaio e recomposição de um pouso de beira de estrada
(casa de tropeiro) de primórdios do século XIX
Revista do Arquivo Municipal
Nº 165 – Ano 1959


Contato
Praça do Monumento, s/nº - Ipiranga
São Paulo/SP - CEP 04261-050
Telefone: +55 11 2273-4981
e-mail: museudacidade@prefeitura.sp.gov.br

Serviços
Visitação
Terça a domingo, das 9h às 17h
Há Serviço Educativo no local
Entrada franca
Consulte a programação

Transporte
Linhas de ônibus consultar: www.sptrans.com.br
Linha de Metrô próxima: Verde – Estações Alto do Ipiranga e Sacomã


Localização geográfica
visualize no mapa