Luis Saia

Foto Luis Saia por volta de 1975 Foto Caricatura de Luis Saia

Luis Saia nasceu na cidade de São Carlos-SP, em 16 de outubro de 1911. Iniciou seus estudos naquela cidade, transferindo-se sucessivamente para Campinas e São Paulo, onde se graduou em engenharia e arquitetura pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.

Em 1936 participou do curso de Etnografia e Folclore do Departamento de Cultura da prefeitura paulistana, ministrado por Dina Dreyfus, quando passa a ser colaborador do Departamento de Cultura e do então Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, onde substitui Mario de Andrade na Chefia do 4º Distrito, cargo que exerceu por 40 anos.

Em 1938 chefiou a Missão de Pesquisas Folclóricas do Departamento de Cultura, que percorreu os estados do norte e nordeste do Brasil, registrando o folclore musical dessas regiões e recolhendo, através de gravações, fotografias, filmes, desenhos e notações musicais, informações complementares às gravações realizadas. Além deste trabalho, Luis Saia ainda realizou pesquisas e estudos etnográficos, particularmente sobre o samba rural paulista, nas cidades dos arredores de São Paulo.

Na Regional do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, foi diretamente responsável pela restauração de mais de 30 edificações, entre as quais as casas do Bandeirante e do Caxingui, e pela proposição de tombamento de diversos monumentos e coleções de obras de arte, distribuídas pelos estados do sul do Brasil. Promoveu ainda duas grandes pesquisas sobre coleções de obras de arte e sobre a arquitetura do café.

Foi coordenador de diversos cursos, entre os quais o de Especialização em Restauro de Bens Culturais e Conjuntos Arquitetônicos promovido pelo IPHAN e pela Faculdade de Arquitetura da USP, em 1.974. Professor Livre Docente da Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, foi ainda responsável pelos Planos Diretores das cidades de Anápolis, Goiânia, São José do Rio Preto, Lins e Águas de Lindóia, além de grande número de projetos de residências, hospitais e pavilhões para exposições.

Colaborou com Oneyda Alvarenga na edição da série Registros Sonoros do Folclore Brasileiro, produziu um grande número de artigos em revistas e jornais sobre arte e arquitetura brasileiras, além de publicações, entre as quais se destacam, Compromisso de Brasilia, IAB-IPHAN, 1970; A morada paulista, Ed. Perspectiva, 1.972; Residências Rurais do Brasil Colônia (mimeo) 1958; Escultura Popular Brasileira, Ed. Gaveta, 1944; Escultura popular de madeira, in 7 brasileiros e seu universo, MEC, 1974.

Luis Saia faleceu em 15 de maio de 1975.